Keren Kayemet LeIsrael - KKL Brasil


Evento

Homenagem – Irmã Dulce e a superintendente da OSID, Maria Rita Pontes

homenagem

No primeira oportunidade frente a gestão da SIB (Sociedade Israelita da Bahia), seu presidente Sr Luciano Fingergut, Rabino Uri Lam e nova equipe de voluntários, realizam uma marcante cerimonia, os tradicionais Diplomas do KKL, foram a forma encontrada para registrar o marcante Ato.
 
Irmã Dulce e a superintendente da OSID, Maria Rita Pontes, foram homenageadas pela Sociedade Israelita da Bahia, na cerimônia do Dia em Memória do Holocausto, realizada na manhã deste domingo (07), no Cemitério Israelita de Salvador. Cercado de muita emoção, o ato – que lembra os seis milhões de judeus assassinados pelo regime nazista durante a Segunda Guerra Mundial – também destacou o trabalho social em prol dos mais necessitados desenvolvido pelo Anjo Bom e a atuação de Maria Rita à frente das Obras.
 
Na homenagem, foram entregues duas placas com os dizeres “Escolherás Pela Vida”, em nome de Irmã Dulce e Maria Rita Pontes, simbolizando o compromisso de plantar árvores. A iniciativa do plantio é realizada em Israel pelo KKL – Fundo Judaico Nacional há mais de um século, e a partir deste ano passa a acontecer também em Salvador, em áreas a serem definidas. “Cada muda representa uma pessoa ou instituição com atuação na área social e que, portanto, luta pela vida, através da dedicação aos menos favorecidos.
 
Irmã Dulce ajudou muitas pessoas por meio de seu relevante trabalho”, destacou o rabino Uri Lam, da Sociedade Israelita da Bahia. Além do significativo valor simbólico, a ação de plantar árvores já resultou no surgimento de bosques inteiros no estado de Israel, contabilizando mais de 240 milhões de árvores e contribuindo inclusive para tornar a região menos árida.
 
“Foi muito emocionante receber essa homenagem. Com isso aumenta a nossa responsabilidade para seguir com a missão de acolher e cuidar dos mais necessitados. Esse momento de lembrança a tantas pessoas que perderam a vida no holocausto me faz pensar também na importância do trabalho de Irmã Dulce, que estendeu a mão a tanta gente e ajudou a salvar tantas vidas”, comentou Maria Rita Pontes.
 
Desde o final da Segunda Guerra Mundial, em 1945, o povo judeu tem a prática de lembrar o Yom Hashoá, Dia em Memória do Holocausto, para que tragédias como esta, em que se buscou sistematicamente o extermínio de um povo inteiro, jamais voltem a ocorrer. Nesta data, o povo judeu homenageia homens e mulheres que arriscaram suas vidas para salvar as vidas de judeus durante a guerra, em harmonia com a passagem bíblica: “Os Céus e a Terra tomo hoje por testemunhas diante de vós, de que te tenho proposto a vida e a morte, a bênção e a maldição – E ESCOLHERÁS PELA VIDA…” (Deut. 30:19).
 
homenagem2

1 Comentário

  1. Marileide Jacob disse:

    É um Privilegio para me falar das Obras sociais Irmã Dulce, por que revivi ali quando levantei do leito e pelo exemplo de carinho que a mim foi ofertado decide retribuir o mesmo amor tornei-me atendente de enfermagem logo auxiliar e técnica de enfermagem porém acreditava que podia ir mais longe então fez a graduação e pós. Trabalhei como técnica, bolsista hoje não estou nas obras mas pagaria se pudesse para estar.

Seus comentários:


Deixe aqui o seu comentário!